Professoras do CEL Araçatuba potencializam o ensino de idiomas com tecnologia

Texto e edição: Ágatha Urzedo

Imagens enviadas pelo CEL Araçatuba

 

No CEL (Centro de Estudos de Línguas) de Araçatuba, desde que as aulas on-line começaram (em 27/4), as estratégias para apoiar o processo de aprendizagem dos alunos evoluem com frequência. As docentes estão interagindo com os estudantes por meio de grupos no WhatsApp e por ferramentas como o Google Forms e Google Meet. Elas explicam conteúdos, resolvem dúvidas e passam orientações das atividades. Isso sempre nos respectivos horários de aulas. O Facebook também é uma ferramenta usada para a comunicação com pais/responsáveis e alunos.

“Nesse período, estamos tendo que reinventar a educação, com metodologias e práticas diferentes das quais estávamos acostumados. O uso da internet tem aproximado alunos e professores, permitindo a continuidade do ensino de idiomas por meio dos conteúdos ministrados virtualmente”, avalia a coordenadora do CEL de Araçatuba, Fernanda Oliva Martin. Segundo ela, muitos alunos já estão bem familiarizados com as plataformas digitais, outros ainda encontram um pouco de dificuldade, mas são ajudados pelos próprios amigos e professores.

BOAS PRÁTICAS

Um dos exemplos de criatividade vem da professora de Espanhol Sheila Grizoli. Em um primeiro momento, ela elaborou um quadro com as características físicas de pessoas, para trabalhar com a escrita. Depois, gravou um vídeo ensinando a pronúncia de cada palavra. A partir disso, a docente propôs uma atividade aos alunos: eles deveriam escolher uma foto de uma personalidade e fazer sua descrição oral, em espanhol. Assim foi feito. Os alunos, inclusive da EJA (Educação de Jovens e Adultos), enviaram fotos de atrizes etc e áudio descrevendo as características físicas dessas pessoas. Para os estudantes do quarto estágio de Espanhol, Sheila encaminhou links de vídeos e perguntas para serem respondidas sobre partes e objetos de uma casa. Para isso, ela usou o Google Forms.

Esse mesmo recurso tecnológico foi utilizado pela professora Débora Garcia Villas Bôas Munhoz para aplicar um exercício ao quinto estágio de Espanhol, cujo tema foram os animais. Os alunos responderam a perguntas, depois de assistirem a dois vídeos que foram anexados ao conteúdo enviado. Já para a turma do terceiro estágio, Débora preparou uma revisão de conteúdos com numerais, horas, roupas, localização etc. Além de vídeos, a docente anexou um mapa.

A professora de Inglês Maria do Carmo Ferreira Belúcio Nogueira tem quatro aulas semanais em cada sala. Dessas, duas estão sendo em formato de chamada de vídeo, pelo Google Meet. As outras duas são realizadas por meio de atividades no Google Forms. Certa feita, a docente trabalhou com uma música e fez a correção na aula virtual pelo Meet. Maria do Carmo também abordou sobre vocabulário e fez revisões do Simple Present e do Present Continuous, propondo exercícios para os alunos fazerem.

As professoras Gianni Coffaci (de Espanhol), Larissa Gabrielle Sutil Ferrão (de Francês) e Renata Marques Bragança (de Italiano) também transcenderam em suas metodologias de ensino. Elas desenvolvem atividades pelo Google Forms e interagem com os alunos pelo Google Meet. Sempre em nome de favorecer a educação dos que escolheram aprender novos idiomas.

“Como coordenadora, fico imensamente feliz pelos professores que priorizam o ensino e a aprendizagem dos alunos, mesmo em tempos difíceis, e pelos alunos, que estão participando e aprendendo enquanto estão em suas casas”, finaliza Fernanda.