Professor da E. E. Profª Licolina cria ação para apoiar aprendizagem dos alunos em quarentena

Texto e imagens fornecidos pela escola

Edição: Ágatha Urzedo

 

A E.E. Profa. Licolina Villela Reis Alves, de Araçatuba, desde o início das atividades não presenciais e orientações didáticas e pedagógicas à distância aos estudantes da escola, vem desempenhando papel preponderante na manutenção do vínculo do aluno com seus estudos. Todos os docentes já vinham trabalhando no sentido de orientar os alunos de modo remoto, em meio à pandemia da Covid-19, elaborando roteiros de estudos semanais e garantindo essencialmente a aprendizagem, de acordo com o novo Currículo Paulista, tendo o estudante como protagonista. Com a demanda crescente de monitoramento e acompanhamento dos alunos, a escola Licolina organizou uma rotina de estudos para cada turma e a disponibiliza pelo Facebook e por grupos de estudos no WhatsApp.

Esta rotina de estudos foi organizada em seu layout dentro de uma tabela no formato de arquivo digital para ser amplamente compartilhada com os alunos e por eles mesmos. Desta forma, os estudantes programam-se para participar das aulas pelo aplicativo Centro de Mídias de São Paulo (CMSP) e das aulas ao vivo/plantões de dúvidas com seus próprios professores. Para isso, os professores se colocaram à disposição por meio de plataformas de videoconferência e chamada das mais variadas de acordo com a demanda dos alunos. Esse trabalho da escola Licolina utiliza a plataforma de videoconferência Google Meet, proporcionando interação entre estudante e professor, de um modo fácil e motivador.

BOA PRÁTICA

Junto a isso, cabe destacar a ação do docente Thiago dos Santos, de Física. Pensando na pedagogia da presença, o trabalho consiste em disponibilizar as aulas ao vivo/plantões para os alunos que perderam no momento dele, por meio da gravação do conteúdo (com a devida autorização de termo de direito de imagem) e compartilhamento em canal específico para esse fim.

Por meio da Microsoft Teams, o professor realiza as videochamadas agendadas no horário das aulas/plantões com a turma toda ao vivo, compartilha telas, grava o vídeo e o disponibiliza na plataforma para acesso posterior dos estudantes que perderam e/ou querem retomar o estudo e também explora simuladores, animações e cálculos em tempo real. Como forma de mais interação ao vivo, também é utilizado o software Microsoft Whiteboard e a caneta digital: os cálculos e palavras podem ser feitos digitalmente, tudo acompanhado pelos estudantes, como se fosse uma “lousa digital”, lembrando até a forma presencial de educação. Também foram criadas salas de estudo virtuais (equipes) e disponibilizados materiais de estudo. Há, ainda, interações por chat, voz e transferência de arquivos.

A escola Licolina também está usando a Google ClassRoom, para melhorar o acompanhamento dos estudantes nos estudos em casa: inclusão de atividades programadas, materiais, vídeos e fotos, entre outros. Todas essas plataformas são custeadas pelo Estado, via CMSP, a todos os estudantes e integrantes do quadro do magistério da SEDUC.